em Blog

Imagem: AIESEC

Se é sobre ser politicamente correto, você está enganado.

De maneira simples, a Responsabilidade Social (RS) é o caminho para que empresas conduzam seus negócios afim de proporcionar o desenvolvimento social de seu público. Em outras palavras, é pensar de maneira humanizada e incitar reflexões.

Segundo pesquisa do Trendwatching, 93% das pessoas querem que os produtos, marcas e serviços que utilizam apoiem causas sociais e ambientais. Outros 68% acreditam que as empresas têm a mesma responsabilidade que os governos para promover mudanças sociais.

A partir desses números é possível entender a importância de ser uma empresa socialmente responsável. Mas como isso se dá? Já adianto, não é só fazendo campanhas que farão o público se emocionar ou tentando “salvar o planeta”.

Foi-se, tarde, o tempo em que a publicidade usava as pessoas ao seu serviço. O jogo virou, agora são os consumidores que buscam por marcas que sejam compatíveis ao seu perfil; é a era do H2H (Human to Human), ou Marketing 3.0.

Reflexo da evolução social, o H2H não é invenção de nenhum marqueteiro ou estudioso, mas sim uma necessidade atual, expressada por pessoas como eu e você.

Em meio ao fluxo de conteúdo e informação, é necessário fazer com que a marca seja útil e importante na vida das pessoas, apesar de seus interesses capitalistas. É como nadar contra a corrente em busca de um porto seguro.

É preciso que as campanhas sejam pensadas para impactar de maneira duradoura, deixando um legado útil para a comunidade com quem a marca quer se relacionar.

Um exemplo prático de negócio socialmente responsável é o Google, que possui práticas de RS nas mais diferentes áreas de atuação da empresa. Mas não são apenas os ‘gigantes’ que devem ter Responsabilidade Social, você também pode – e deve.

Um caminho para sua empresa dar ‘os primeiros passos socialmente responsáveis’ é através do blog corporativo, que deve ser um canal para expor ideias, opiniões e pontos de vista da empresa, sempre transmitindo valores, e não somente uma vitrine institucional.

Mas não é só isso. Repito, não é só isso.

Defender a Responsabilidade Social implica em enraizar isso na cultura da empresa, de modo que funcionários, processos e serviços estejam relacionados, de alguma maneira, com os valores que se deseja propagar.

***

Ao longo do texto há links que encaminham para outras publicações que discutem o tema. Recomendo ainda a leitura do texto “Quando a blogosfera brasileira vai largar a chupeta?”, publicado pelo youPIX e que discute a ‘crise dos 25’ da internet brasileira, e também desta matéria da Vice que pergunta se “É possível ter consciência social e ser feliz?”.

Comentarios

Comentarios

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

elisabeth
%d blogueiros gostam disto: