em Blog

Festa da Uva - 1934

Talvez meia-dúzia torça ainda o nariz pela mudança feita desde o ano passado no novo/antigo modelo da Festa da Uva de Jundiaí. O que importa mesmo é que a tradicional festa da cidade está de parabéns. A 31ª edição une cultura, turismo, história e entretenimento do que há de melhor em Jundiaí, feito pelos próprios conterrâneos.

Logo na entrada, você recebe uma pulseira que identifica se é maior de 18 anos. Palmas, afinal você está também na II Expo Vinhos. Mas antes de chegar ao espaço reservado às Adegas, um galpão reúne utensílios que resgatam a tradição da vitivinicultura jundiaiense. O local também abriga uma grande bancada de uvas premiadas.

Dois lances de rampa acima e você chega ao contato das principais adegas de vinho de Jundiaí. Nossa parada é na tradicional adega Família Brunholi, com uma grande variedade de vinhos secos e suaves. O Pavilhão conta com mais de 10 adegas de Jundiaí. Cuidado para não ‘trançar as pernas’. Mas se essa for a sua opção, aproveite para curtir um dos shows que estiver rolando no palco interno.

Outro lance de rampa acima, mas com passagem por uma montagem bem bacana de cenário interativo da TV CENA, onde você pode simular uma pisa da uva, e você está na área destinada para a venda de uvas. Tem lugar mais ideal para fazer esse tipo de compra?

A parte externa do Pavilhão Principal agrupa diversos comércios, o principal é dos artesanatos. E, como membro do Conselho de Turismo de Jundiaí, acompanho a luta da Diretoria de Turismo a Prefeitura de Jundiaí, em aperfeiçoar esse trabalho e oferecer produtos com características regionais.

Um espaço foi reservado para às entidades assistenciais. Minha parada foi no Lar do Idoso, entidade que tem um trabalho bem bonito na cidade em prol dos velhinhos. Mas antes de provar o bolo gelado enrolado no papel alumínio, parto para a “perdição”: a gastronomia dos bairros de Jundiaí.

Sou suspeito, pois sempre adorei as festas de bairro para provar as polentas e frango fritos e macarrão. Não resisti e optei pelos dois últimos. Mas a variedade é grande: pernil, comida japonesa, pratos alemães, espetinhos, e muito mais. Cuidado 🙂

Por fim, o destaque fica para o palco externo, que abre a oportunidade para bandas locais mostrarem seu trabalho.

Uma organização que merece palmas para os envolvidos e, principalmente, aos engajados de coração para a realização de um trabalho que visa manter a tradição iniciada em 1934! E só temos a ganhar com isso.

Ah, aproveite, a festa termina neste domingo, 16 de fevereiro!

Festa da Uva - Resumo

Festa da Uva - shows

Comentarios

Comentarios

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

%d blogueiros gostam disto: