em Blog

internet das coisas

Estamos entrando na 4ª Geração da Internet: a Internet das Coisas, onde tudo estará conectado. A realidade parece ainda mais evidente após a realização na Consumer Eletronics Show (em Las Vegas), a maior feira de tecnologia do mundo, na semana passada.

Após a passagem pelas três primeiras gerações (Conectividade, E-commerce e Redes Sociais), a Internet das Coisas estabelece uma interação entre objetos inteligentes por meio da Internet.

No evento norte-americano foram apresentados produtos como: cama ativada por voz que acompanha se você dormiu bem e até mesmo se você teve insônia; geladeiras que entendem o que está faltando e até fazem o pedido diretamente ao supermercado delivery; e um grill que serve comida com base nas preferências do usuário, conecta-se a um banco de dados de receitas, dá instruções e até envia mensagens de texto em momentos-chave, como quando é a hora de virar a comida. Mas o universo conectado é ainda maior.

Em um texto do Gerente de Novas Tecnologias da IBM, Cezar Taurion, ele elucida sobre uma outra possibilidade da Internet das Coisas ainda mais abrangente: “sensores que equipam um automóvel podem enviar sinais em tempo real para um algoritmo sofisticado em um processador no próprio veículo, que pode tomar decisões que melhoram a segurança da sua condução, evitando colisões ou mau uso dos seus componentes. Outras informações podem ser repassadas a uma central que monitore o percurso, gerenciando a forma do usuário dirigir o veículo e retribuir esta forma de direção em descontos ou taxas adicionais de seguros. Podem enviar informações que mostram que o veículo está sendo furtado e portanto decisões como o bloqueio de sua condução e acionamento da força policial podem ser tomadas.”

Por outro lado, é necessário que haja uma discussão e planejamento para a segurança da Internet das Coisas. Há muita vulnerabilidade no universo online, vide casos revelados pelo ex-agente da NSA, Edward Snowden, sobre o escândalo das espionagens virtuais realizadas pelo governo norte-americano.

Lembrando do exemplo comentado acima por Taurion, um hacker também pode ter acesso ao sistema do seu veículo e conhecer seu percurso, sua rotina, e saber quando sai de sua casa e volta do trabalho, deixando você e sua família vulneráveis em diversas situações de risco. (Casos semelhantes já foram constatados com a invasão em Smart TV e em aparelhos de babá-eletrônica).

Estima-se que a Internet das Coisas entre realmente no cotidiano de nós, meros mortais, efetivamente em um período de cinco a 10 anos. Ela, sim, adicionará inteligência à infraestrutura física que nos cerca, porém serão necessários cuidados, principalmente com a segurança.

Conectados, já ficamos. Negócios online, já praticamos. Relacionamentos virtuais, já criamos. O que mais queremos com a 4ª Geração da Internet? A facilidade estará a apenas um clique.

 

Comentarios

Comentarios

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

%d blogueiros gostam disto: