em Blog

Vivemos em tempos de levantes sociais, como forma de resgate histórico-cultural pelas tristes passagens que o mundo enfrentou. Nas últimas décadas, a valorização da mulher, os movimentos indígenas, LGBTQ, negro, entre outros, compõem um novo cenário social, onde as diferenças são sinônimos de resistência para uma busca de tolerância e respeito na sociedade.

Desse modo, surgiu o movimento Black Money e foi dele que acompanhei uma palestra na Social Media Week 2019. Trata-se do conceito de fazer com que o dinheiro (produtos e serviços) gerado por empreendedores negros circule primeiramente entre a população negra, fazendo com que o povo negro (no mundo), fortaleça-se diante de tudo o que lhes foi tirado ao longo da história, em período de colonização e escravização brutal.

Na perspectiva de entender e agregar vivências, vale mencionar que um dos primeiros estudiosos negros a caracterizar esse movimento foi Marcus Garvey, um comunicador, empresário e ativista jamaicano que impulsionou o Resgate dos Valores Africanos. #ficaadicaparaestudo. Seus preceitos permeavam a construção de uma rede de desenvolvimento afro centrada, nas vertentes educacionais, sociais, empreendedoras, na indústria pelo mundo todo, onde passou a liderar inúmeros movimentos.

No Brasil, temos alguns exemplos de empreendedores em destaque Adriana Barbosa, Nina Silva, Monique Evelyn, Elaine Dias, Zica Simões, Geraldo Rufino e Julio Santos. No âmbito da comunicação e de personalidades influentes da atualidade Ad Junior, Kondizilla, Spartakus, Tia Má e Mel Duarte.

A prática de Black Money é pauta pra diferentes considerações sociais, econômicas e políticas, nas tentativas constantes de equiparar números que potencializem a presença e influência negra de forma igualitária e equiparada.

Não é sempre que paramos pra pensar a respeito e de certa forma, pode não fazer parte do seu dia a dia questões como essa, mas quem produz conteúdo precisa valorizar as vivências.

Vale lembrar que já produzimos um Podcast que questiona “Onde está a história afro de Jundiaí?”, clique e ouça agora!

 

Neste link você encontra mais textos sobre as palestras do Social Media Week.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

%d blogueiros gostam disto: