em Blog

O audiovisual é, antes de tudo, um ambiente cheio de possibilidades e muita imaginação.

Produzir um vídeo é muito mais do que ligar uma câmera e sair gravando, mais do que depender do manual de instruções do equipamento e lembrar de cor certas regras… É contar uma história. Não importa se ela é fictícia, documental, uma simulação, se é pautada por critérios técnicos de determinada profissão, se é pontual ou apenas alguém falando com a câmera.

Por mais óbvio que pareça, para contar uma história é preciso ter um propósito bem-definido, começo-meio-fim e – o mais importante de tudo! – uma mensagem interessante para levar até o público.

Depois de encontrar o objetivo e propor a mensagem, há que se fazer a pergunta: ‘o que eu quero mostrar?”

É aí que entram conceitos básicos do audiovisual: a escala e o enquadramento (planos).

 

Escala – Nada mais é do que a figura humana dividida para se estabelecer um padrão de filmagem. Os diferentes planos são derivados dela.

 

Enquadramento – Elemento importantíssimo, pois é por meio dele que se define o que fará parte do que o público verá. Respondendo à pergunta acima, o enquadramento diz muito sobre como a história é contada, o ponto de vista de quem fala.

 

Por exemplo: um ator sentado à mesa para almoçar ou um boletim para um telejornal – duas imagens com objetivos totalmente diferentes – pedem o mesmo plano médio, aquele que enquadra da cintura para cima.

 

Aos planos

 

Grande Plano Geral (GPG): usado para contextualizar o que está para acontecer em cena. Geralmente, revela o espaço/tempo onde se dará a história/fato.

 

Plano Geral (PG): plano aberto, mostra o ambiente/cenário e o objeto (personagem) ocupa pouco espaço em cena.

 

Plano Americano: mostra do joelho para cima; bastante utilizado a partir dos filmes de faroeste americanos, quando o objetivo era mostrar as armas dos atores, sem perder as expressões faciais.

 

Plano Médio: mostra a pessoa da cintura para cima, portanto, percebe-se as mãos e a expressão facial, a relação entre o objeto e o ambiente da cena, demais itens importantes.

 

Primeiro Plano (PP): enquadramento do peito para cima. Mais emocional e subjetivo, foca na expressão facial da pessoa, mostra sentimentos e pensamentos, o que nem sempre é falado. Objeto ainda tem movimento.

 

Close: plano fechado, o rosto do objeto ocupa quase toda a cena, foco na expressão, mais uma vez utiliza-se da subjetividade.

 

Primeiríssimo Primeiro Plano (PPP): mostra partes do rosto do personagem: sentimentos, sutilezas, intensidade dramática, características, pensamentos.

 

 

Plano Detalhe (PD): como o nome diz, mostra detalhes e, às vezes, sequer se reconhece o que está em cena; cria mistério e surpresa.

 

Plano Conjunto (PC): quando há mais de um objeto em cena; o espectador reconhece as pessoas e suas características específicas. Aqui, os objetos ocupam um espaço um pouco maior do que no plano geral.

 

Plongée: palavra francesa que significa “mergulho”, este plano também é conhecido como câmera alta.

 

Contra Plongée: “contra-mergulho”, câmera baixa.

 

No texto seguinte, veja com a Julie Braghetto a “regra dos terços” e os movimentos de câmera.

 

Já sabe! Precisou de um vídeo, a io! pode te ajudar.

 

Fotos: Google

Comentarios

Comentarios

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

%d blogueiros gostam disto: